Buscar
  • ipiacomunidade

Curso online Estudos Brasileiros


◄Curso online Estudos brasileiros: Formação, memória e resistência ►


A fundação e a formação brasileiras foram marcadas pela violência, falseamento e romantismo no relato dos acontecimentos históricos. Resta a nós, brasileiras e brasileiros a tarefa de ir ao fundo dessa história e descobrir como afinal isso aqui deu no que deu. Mas é verdade que abordar o sentido da formação brasileira é tarefa múltipla, diversa e infinita. O único meio para tentarmos seguir essa ingrata tarefa é tomar o caos de seus rumos como norte e partir da reflexão acerca desse universo multitudinário, tomado não por aquilo que nos falta, mas por tudo o que temos, que fomos e somos. Isto é, o esforço por explorar aquilo que nos constitui no âmbito de nossa produção artística e literária, nossa formação de memória enquanto povo ou amálgama social identificável, e nossa formação histórica e econômica. Só partindo daí podemos começar a repensar temas como: a formação (e as diferentes formações), o mito fundador, o povo cordial, o cunhadismo, a ideia da democracia racial, a herança autoritária de nossas elites e o patrimonialismo das práticas sociais e políticas.


Através da exposição e debate acerca de temas relevantes de algumas obras consideradas clássicas ou seminais da formação brasileira, pretende-se dividir em atos os estudos de Brasil, tomando como tema nesse primeiro momento as resistências em nossa formação tardia. O objetivo é, portanto realizar uma análise multidisciplinar com foco em períodos de mudança social e política mais agudos, como, por exemplo, nos inúmeros momentos de transição de regimes e de consolidação da sociedade patrimonialista e patriarcal, fruto já de um modo lusitano consolidado e expandido por nossas elites, um modelo de exploração e genocídio dos povos nativos e transplantados sob a forma de reféns no modelo escravocrata, o qual se perpetua até os dias atuais.


A formação do Brasil é, portanto, a formação das resistências, e é pelo estudo de suas diferentes ocorrências que a exposição e análise das formas de dominação devem ser entendidas e estudadas. Lembramos que esse módulo é a primeira flor dessa primavera de estudos brasileiros que urge surgir. Seu objetivo é delinear os primeiros caminhos de uma longa série de estudos brasileiros a ser realizada pelo IPIA.


【 E M E N T A 】


Neste curso, daremos um primeiro mergulho em nossos estudos brasileiros através da análise dessas resistências formadas nos âmbitos literário, político, social e histórico de períodos marcantes em nossa formação tardia, discutindo os eventos, suas causas e os processos de memória que envolvem.


Aula 1 】 A IDEIA FIXA, O EMPLASTRO, O DEFEITO E UM CUBAS!

- Machado de Assis (1839-1908) - Brás Cubas (1900), Esaú e Jacó (1904), crônicas nos jornais

- Conceição Evaristo - Ponciá Vicêncio (2003)

- Ana Maria Gonçalves - Um defeito de cor (2006)


Aula 2 】 A TERRA, O HOMEM, A LUTA

- Euclides da Cunha (1866-1909) - Os sertões (1902)


Aula 3 】 OS BRUZUNDANGAS: A CIDADE, A RAÇA E O GÊNERO

- Lima Barreto (1881-1922) - Clara dos Anjos (1922 – publicado em 1948), Sátiras e outras subversões (2016), Os Bruzundangas (publicado em 1922, retrata a sociedade do início da Rep. Velha)


Aula 4 】 HERÓI DE NOSSA GENTE: O MITO E O MINTO

- Mario de Andrade (1893-1945) – Macunaíma (1928)

- Chysanthème - Enervadas (1922)


Aula 5 】 NOVOS LUSÍADAS: A EPOPEIA DA FORMAÇÃO

- Guimarães Rosa (1908–1967) - Grandes Sertão Veredas (1956)

- Clarice Lispector - A hora da estrela (1977)

- Maria Carolina de Jesus - Quarto de despejo (1963)


Aula 6 】 TEMPO DA MEMÓRIA E HISTÓRIA A CONTRAPELO

- Jeanne Marie Gagnebin (1949 - ) – Lembrar, escrever, esquecer (2014), Walter Benjamin: os cacos da história (2018)

- Marilena Chauí (1941) – Conformismo e resistência (2014)

- Michael Lowy (1938 - ) – Walter Benjamin: Aviso de incêndio (2005)



【 Q U A N D O 】

Às terças-feiras, dias 26/05, 02/06, 09/06, 16/06, 23/06 e 30/06, das 18:00h às 21:00h..


【 O N D E 】

Plataforma Zoom.


【 I N V E S T I M E N T O 】

R$ 450,00 (depósito ou boleto, parcelado ou integral)

R$ 480,00 (cartão de crédito no PagSeguro)

R$ 90,00 (cada aula avulsa)


【 P R O F E S S O R E S 】

FELIPE JARDIM é professor do IPIA – Comunidade de Pensamento.

Doutor em Direito pelo Programa de Pós-Graduação da PUC-Rio, é mestre em Direito pelo Programa de Pós-Graduação da PUC-Rio. Possui graduação em Direito pela PUC-Rio.

Atualmente realiza estudos na área de filosofia política, história do direito e história da filosofia, com ênfase no pensamento político dos séculos XVI e XVII, também desenvolvendo pesquisas na área do direito de resistência e formação constitucional brasileira.


VIVIANA RIBEIRO é professora e cofundadora do IPIA - Comunidade de Pensamento.

É doutoranda em Direito pelo Programa de Pós-Graduação na PUC-Rio. Mestra em Filosofia pelo Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Federal Fluminense (PFI/UFF). Graduada em Direito pelo IBMEC.

Atualmente realiza estudos na área de filosofia política, com ênfase no pensamento de Bento de Espinosa e Gilles Deleuze. Desenvolve, também, pesquisas em literatura e política; literatura e memória. Integrante do GT-Deleuze & Guattari da ANPOF e do Círculo de Leitura Espinosa, realizado na Puc-Rio.


MARIA IZABEL VARELLA é professora do IPIA - Comunidade de Pensamento.

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Direito da PUC-Rio, é mestra e graduada pela mesma universidade.

Atualmente realiza pesquisas na área de direitos humanos e filosofia moderna e contemporânea, com ênfase em temas como história, memória, tempo e experiência política.

67 visualizações