Buscar

Deusas do Amor - Imagens arquetípicas de fertilidade, vida, violência e guerra

Atualizado: Set 15







:: Deusas do Amor - Imagens arquetípicas de fertilidade, vida, violência e guerra ::


Conquistar. Vencer. Dominar. Recuar. Hesitar. Submeter. Triunfar. Arrebatar. Alucinar. Aprisionar. Fascinar. Temer. Adorar. Pelejar. Disputar. Capturar. Convencer. Sangrar. Provocar. Invadir. Ocupar. Os verbos do amor são os mesmos de uma batalha, são os mesmos da Deusa. Durante milênios, a mulher ocupou um lugar centralizador que presidia toda a vida humana, através do culto a uma divindade feminina que testemunhava sobre a natureza, a fertilidade, a vida, a guerra, a morte e o amor. Não havia cisão dessa figura em múltiplas partes. Não havia contradição de entender que a Senhora da Vida só poderia ser a mesma que a Senhora da Morte. Os princípios de morte, guerra e violência retalhados da vida, paz e amor e separados da figura feminina é resultado deturpador de um domínio patriarcal que hierarquiza, subalterniza e subjuga mulheres, condenando-as ao lugar de escravas da guerra e do mundo dos homens. O patriarcado nos multifacetou, nos separou e dividiu. Ora somos castas, como pombas; devassas, como lebres; sanguinárias, como leoas; letais, como serpentes. Ou isso ou aquilo. O feminino e a mulher, contudo, são todas essas faces em uma só. A contradição está em continuar a fragmentar o que não era fragmentado. Com “Deusas do Amor - Imagens arquetípicas de fertilidade, vida, violência e guerra” buscamos reconstruir a história de divindades femininas associadas não só ao amor, como também à cólera, às vísceras, aos ciclos da natureza, ao sangue de batalha que também fertiliza a terra. E, assim, também reescreveremos a história das mulheres e entenderemos em qual sentido a guerra das mulheres difere da guerra dos homens. Inanna, Ishtar, Astarte, Afrodite e Vênus. Deusas que inspiram poetas e sacerdotes há milênios em hinos líricos, eróticos, passionais. Senhoras de inúmeros amantes e consortes, matroeiras da cerveja, dos errantes e das prostitutas. Deusas que lutam, deusas que amam, deusas que gozam. Deusas mulheres.



:: E M E N T A ::


Aula 1 e 2 】Inanna – Deusa suméria, senhora de todas as essências - Soberana da vida e da morte - Deusa da guerra e do amor


Aula 3 e 4】Isthar - A maior prostituta da Babilônia - O sexo iniciático - A profanação divina


Aula 5 e 6 】Astarte – Grande Deusa fenícia da fertilidade, do amor, da lua e da guerra – Relação com Baal, a divindade trina pré-hebraica e sua relação com a narrativa bíblica.


Aula 7 e 8】Afrodite – A famosa Deusa do amor grega e seus amantes de armas e guerra – A relação entre Afrodite e Helena e o amor e a guerra na narrativa de Troia.


Aula 9 e 10】Vênus – Luciferina – Estrela guia dos apaixonados e das legiões imperialistas romanas - A pequena benéfica astrológica.



:: Q U A N D O ::

Sextas, dias 04/09, 11/09, 18/09, 25/09, 02/10, 09/10, 16/10, 23/10, 30/10 e 06/11 de 19h às 22h.


:: O N D E ::

Plataforma online.


:: I N V E S T I M E N T O ::


Boleto ou transferência: R$ 350,00/mês (2 meses: setembro e outubro) Cartão de crédito: R$ 740,00 (com possibilidades de parcelamento) através do PagSeguro

(Os valores acima correspondem a 10 semanas de aula)

Aula avulsa: R$ 90,00/cada



:: I N S C R I Ç Ã O ::

https://forms.gle/4L1xSAPW86aKeMEL7


:: P R O F E S S O R A S ::


JULIA SCHMIDT é professora de Língua Portuguesa. Também é mestre em Linguística com foco em Análise do Discurso pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), graduada em Letras - Português e Alemão pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Atua principalmente nos seguintes temas: linguística aplicada, análise do discurso, sexualidade, feminismo e gênero. Desenvolve atualmente estudos ligados à astrologia, botânica, perfumaria e mitologia.


JULIA MYARA é professora e co-fundadora do IPIA – Comunidade de Pensamento. Também é doutoranda em História da Filosofia Antiga na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), mestra em Filosofia Antiga na PUC-RIO, graduada em Filosofia pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e professora da Pós-graduação Lato sensu em Filosofia Antiga (CCE, PUC-RIO). Atualmente realiza estudos na área de filosofia antiga e do pensamento de Platão, narrativas de pós-morte e catábases e mitologia com ênfase nas figuras femininas nas narrativas sagradas sumérias, gregas e bíblicas. Desenvolve pesquisa nas áreas de estudo de gênero na antiguidade, religiões, narrativas míticas comparadas e retórica.

587 visualizações

O uso não autorizado do conteúdo e imagem pertencentes ao IPIA configura violação de propriedade intelectual sujeita a penalidade.